novembro 08, 2010

Brï lhando

Sempre gostei de parques de diversões. Dos brinquedos, das pessoas, da liberdade, da diversão...
Mas algo que sempre me tocou, de uma forma diferente de tudo, foram as luzes. Ao anoitecer, todos os brinquedos contornados por luzes coloridas, e só.
O céu tão escuro, a noite fria, a vida se esgotando... E aquelas luzes piscantes, tão hipnotizantes que pareciam puxar meus olhos.
Hoje, quando voltava pra casa, passei por um lugar com alguma semelhança. Não era um parque. Não tinha roda-gigante contornada, nem carrinhos 'voando'... Mas era iluminado. Isso bastou para que eu tivesse a mesma sensação. Foi tão forte que segui aquele brilho com os olhos, cabeça, corpo, e alma. Principalmente alma. Até sumir dentro da noite escura, fria, vazia, e mortal.
Nesse instante, me senti tão só, que pus-me a chorar quieta, mas - eu juro ! - não sei se foi alegria ou tristeza.
Eu senti.


E eu, que quando criança, achava que a vida era pra sempre.



B.

3 comentários:

  1. a unica q brilha é voce..... vc é uma estrela.

    ResponderExcluir
  2. Estrelas não tem esporas.
    Obrigada...

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito dos seus textos! Vou seguir aqui! Passa no meu pra conhecer depois!

    beijos

    ResponderExcluir